Blog Single

07 fev

A inteligência em segurança da informação: entenda a importância

Inteligência e segurança da informação

O avanço das tecnologias da informação ao mesmo tempo em que facilita a vida das pessoas também torna mais complexo os cenários onde atuam hackers e todos os tipos de criminosos virtuais. A inteligência em segurança da informação precisa agir de forma consistente sem interrupção para detectar e deter ameaças cada vez mais sofisticadas.

O conceito de inteligência aplicada à segurança da informação pode fornecer vantagens táticas para uma equipe de TI em caso de ataques cibernéticos. Mas do que a ativação de produtos, ter uma visão ampla dos acontecimentos e estar preparados para as eventualidades é o que pode fornecer a melhor solução em segurança.

Entenda um pouco mais sobre o papel da inteligência para a segurança da informação lendo este artigo que preparamos para você.

Afinal, o que é inteligência?

Não vamos nos ater à capacidade cognitiva para explicar inteligência. Vamos ampliar o conceito e compreender sua aplicação prática em situações limites, como em um ataque de hackers a uma rede.

O termo inteligência, neste sentido, vem do vocabulário militar e se refere ao uso ostensivo das informações para encontrar vulnerabilidades e prever possíveis alvos de ataques, alocando assim os recursos disponíveis a fim de obter a vantagem tática. Em outras palavras, criar cenários e agir neles da forma mais eficiente possível.

A França na Segunda Guerra Mundial tomou uma lição. Seus generais apostaram em um conflito estacionário, mobilizando homens e equipamentos formando uma linha de defesa ao longo da fronteira. Já os alemães mudaram a tática e o uso dos equipamentos, contornado a linha de defesa francesa pelas florestas belgas, adentrando no país com muita facilidade. Um dos maiores exércitos da Europa caiu em poucas semanas não por falta de equipamentos e recursos, mas de inteligência militar.

A inteligência em segurança da informação pode ser entendida da mesma forma. Muito mais do que reforçar um perímetro de segurança com produtos como antivírus e firewalls, é preciso um trabalho de monitoramento que estude os ambientes de segurança, detecte as vulnerabilidades e crie cenários para poder agir de forma efetiva nas situações críticas.

A inteligência em segurança da informação

Como todo profissional de TI já sabe, não existe ambiente 100% seguro. O universo da tecnologia da informação é muito dinâmico e a cada momento surgem novas formas de atuação dos cibercriminosos.

A intenção da inteligência em segurança da informação é ir além da necessária barreira de proteção. A ideia é investir no monitoramento constante e conhecer os pontos de vulnerabilidade para otimizar os recursos de proteção, direcionando para as áreas mais necessitadas.

Compliance em TI não é suficiente para uma proteção eficiente em um ambiente tão complexo. A construção de um perímetro padrão é apenas o recomendado para manter uma rede com um nível de proteção protocolar, que aliás é o esperado pelos hackers. A inteligência em segurança da informação requer passar da prevenção total à vigilância constante.

Como aplicar a inteligência?

Um trabalho de inteligência em segurança da informação consiste na coleta de informações e no monitoramento ostensivo, a fim de detectar as ameaças, cobrir as falhas de segurança e ter um plano de ação em caso de ataques. Isso significa investir em consciência situacional, treinando as equipes de TI para perceberem os acontecimentos no tempo e no espaço e relacioná-los.

A compreensão panorâmica do cenário de segurança é o ponto zero da tomada de decisão. Portanto, é preciso estudar o ambiente interno e o ambiente externo para saber dentre as tantas formas de ameaças possíveis, quais aquelas que são eminentes e prováveis. Depois disso, direcionar os recursos — produtos e técnicos — para onde se é mais vulnerável.

Dessa forma, a dificuldade de cobrir todas as vulnerabilidades de uma rede ou sistema pode ser compensada conseguindo vantagens táticas com o trabalho de inteligência.

A isso, soma-se o constante estudo de novas ameaças. É preciso pensar como os invasores a fim de antever seus passos e diminuir a possibilidade de falhas e vulnerabilidades. Para tanto, fazer uso de simulações de ameaças externas ajuda a expor as fraquezas na infraestrutura de segurança digital. Conhecer as táticas dos hackers é tão fundamental quanto conhecer suas próprias virtudes em proteção.

O universo da segurança da informação é muito amplo e dinâmico. Estamos sempre produzindo conteúdos sobre ele para você se manter informado e seguro. Para acompanhar sempre o nosso blog, assine a nossa newsletter e receba as atualizações no seu e-mail.

Related Posts

Leave A Comment