Blog Single

14 fev

2020: o ano da conformidade à LGPD

2020, ano da LGPD.

O ano de 2020 promete ser de muitos ajustes nas questões de segurança da informação. São oito meses para que as empresas que detêm e processam dados dos seus clientes se adequem à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

São desafios que abrangem responsabilidades legais e que passam, em muitos casos, pela reestruturação de toda a política de cibersegurança de uma empesa. Um esforço que precisa ser mensurado para se obter as soluções mais adequadas.

A conformidade à LGPD, embora garanta de direitos, tem trazido dúvidas. Mas o importante é saber que a legislação existe para gerar benefícios a todos que atuam no ambiente digital. Veja neste artigo mais detalhes sobre esse importante tema.

A importância do marco legal

A informatização da economia e da vida cotidiana tem acontecido de forma acelerada nas últimas décadas, com mudanças fundamentais no nosso modo de vida e de como nos relacionamos. Dados pessoais, antes de pouca importância para muitas empresas, hoje são uma valiosa moeda de troca.

As mudanças ocorridas na forma como as informações são armazenadas e processadas criou várias situações em que não havia uma cobertura legal para se atribuir responsabilidades. O aumento e a diversificação de cibercrimes trouxe situações em que não havia parâmetros para atribuição de responsabilidades, por exemplo, por perda, extravio ou mau uso de informações sensíveis das pessoas.

A LGPD é a adequação do Brasil a essa nova realidade. No esteio de legislações de outros países e da União Europeia, o país cria um marco legal para proteger todos os envolvidos nos negócios digitais e direcionar o país para as boas práticas de segurança da informação, cada vez mais exigidas pelo mercado internacional. Sem dúvida, um avanço.

Conformidade à LGPD

O ano de 2020 marca a contagem regressiva para que as companhias brasileiras estabeleçam seus parâmetros de segurança em conformidade com a LGPD. São os oitos meses finais de análises e mudanças técnicas e de procedimentos para atender aos requisitos da lei.

As adequações de segurança da informação perpassam por toda as áreas da organização. Um programa de compliance deve estabelecer a estratégia relativa à privacidade e à segurança das informações sensíveis, passando também por organizar a estrutura que trabalhará no processamento e pela atribuição dos responsáveis pelo processo.

Além disso, deve estabelecer um programa de gestão da segurança da informação, com sua política de proteção e processamento de dados, colocando a cibersegurança como um princípio básico de todas a atuação empresarial (e não como um acessório ou reação a problemas).

Por fim, uma adequação firme à LGPD é uma oportunidade de mudança de cultura relativa à cibersegurança. Por isso, é importante um programa de treinamento e conscientização a respeito do tema para todos os envolvidos no negócio. Afinal, segurança digital envolve, acima de tudo, pessoas.

E a sua empresa?

O impacto da LGPD no mundo empresarial é real. A não adequação à legislação e problemas decorrentes podem gerar pesadas multas e a perda da confiança do mercado, além da não habilitação para vários negócios. Por isso, seguir a lei é tão fundamental.

Com a LGPD em dia, empresas de diversos ramos que trabalham com o armazenamento e o processamento de dados de terceiros abrem uma janela de oportunidades para atender a um mercado cada vez mais conscientes da importância da cibersegurança. 2020 não será um ano de ameaças, mas de criação de oportunidades para quem abraçar de vez a segurança da informação.

Consulte-nos para saber mais sobre a adequação do seu negócio à LGPD. Nosso time de especialista está a postos para fazer a melhor análise para a sua companhia.

Related Posts

Leave A Comment