Blog Single

05 jan

O céu é o limite para blockchain em cibersegurança

A transparência e salvaguarda e proteção dos dados pessoais são requisitos fundamentais para as organizações que querem apresentar um diferencial competitivo ao mercado, além de exigências legais tanto para a LGPD quanto outras leis de privacidade em outros países. Diante desse cenário, adicionado ao “novo normal” com a pandemia e milhares de pessoas trabalhando em regime de home office, através do emprego da blockchain, empresas podem aperfeiçoar seus procedimentos adotados no tratamento das informações geradas tanto internamente, quanto externamente pela empresa.

Assim, diversos tipos de atuação podem ser empregados, como armazenamento de eventos gerados de forma distribuída entre todos os participantes envolvidos na blockchain e manutenção da integridade de backups realizados através do registro do identificador gerado sobre o backup (hash) na blockchain. Tais aperfeiçoamentos podem não só acarretar na redução de custos operacionais, como também na expansão da empresa, devido à agilidade adotada para procedimentos que antes eram considerados trabalhosos.

Além disso, novas soluções podem passar a ser fornecidas e negociadas, como também pode existir um melhoramento na reputação da empresa. Com um propósito bem definido, explicado e divulgado abertamente para clientes, empresas que empregam blockchain para garantir assertividade em processos críticos podem passar sensações de conforto e segurança para seus clientes, tanto teoricamente quanto na prática.

Diferentemente de muitas tecnologias empregadas hoje em dia, com o uso correto da blockchain, vários benefícios podem ser alcançados, como a Rastreabilidade de todo o processo de produção, onde é possível saber a origem dos produtos, empresas participantes, produtores e inúmeras outras informações que, no geral, são inviáveis de serem centralizadas em um único sistema. Atualmente, existem diversas empresas, startups e aplicações que tem como base o uso de tecnologia blockchain como forma de solucionar problemas complexos.

A OriginalMy, por exemplo, provê diferentes tipos de soluções alcançadas através de diferentes tecnologias blockchain, como por exemplo, autenticação segura de documentos e assinaturas digitais. Isso permite, inclusive, provas digitais com autenticidade jurídica.
No entanto, do ponto de vista de uso ainda não existe um consenso geral das empresas e governos sobre o uso da blockchain como forma de garantir e assegurar uma segurança mais fortalecida. Isso se deve principalmente pelo fato da forte associação que é feita entre criptomoedas e blockchain.

“Com um propósito bem definido, explicado e divulgado abertamente para clientes, empresas que empregam blockchain para garantir assertividade em processos críticos podem passar sensações de conforto e segurança para seus clientes, tanto teoricamente quanto na prática”.


Porém, existem diversos meios de contornar todo este ceticismo, onde dentre eles podem-se destacar a divulgação em massa, em formato educacional, sobre os conceitos, tecnologias, aplicações reais e contextos de englobamento do uso da blockchain, bem como explicações sobre possíveis ataques e ou vulnerabilidades que também podem vir junto com a implantação da blockchain. Quanto mais conhecimento pessoas e organizações no geral tiverem, maior será o poder de adoção desta tecnologia.

Blockchain na vanguarda para atender a LGPD


Inúmeras tecnologias podem ser empregadas juntamente com blockchain para alcançar o resultado esperado. Do ponto de vista legal, agora com a LGPD em vigor, casos como integridade de documentos, deve existir uma criptografia fortemente empregada com procedimentos seguros e distribuídos para armazenamento de documentos, onde no geral, são utilizados tecnologias de grandes provedores em nuvem, como a AWS Elastic Block Store e a Google Cloud Storage, para tal finalidade.

Ainda sobre o atendimento e a conformidade da LGPD, outras tecnologias como biométricas e relacionadas a QR-Code também estão sendo utilizadas para geração de dados que posteriormente serão armazenados na blockchain. Eventos como acesso de funcionários autorizados a áreas restritas geram dados de suma importância, como data e identificadores, que devem ser armazenados de forma segura.


Inserido determinado dado em um bloco, não só o dado é imutável como ele será criptografado. Por sua vez, o conteúdo dos dados inseridos na blockchain, em sua grande maioria, diz respeito a transações ou a como transações são representadas. Blockchain apresenta um ambiente relativamente seguro para o armazenamento de informações pessoais e, mais, permite o gerenciamento do dado por meio de seu titular. Nesse sentido os dados quando forem anonimizados mediante o uso de criptografia assimétrica, de sorte que a sua autenticidade pode ser aferida mediante o confrontamento de chaves públicas e privadas, indicadas de acordo com a conveniência do titular do dado.

Flavia Brito, CEO da Bidweb Security IT

Related Posts